A casa

O apartamento em Copacabana tem um charme, mesmo sem móveis ainda.
As noites são sempre interessantes. Milhares de assuntos que rondam o dia de cada uma das moradoras se encontram na sala ou na varanda, dependendo da programação televisiva.
De tudo se fala. Trabalho, sonhos, planos. Tudo compartilhado em conversar eternas, enquanto o sono não chega.
Uma atmosfera muito feminina de confissões e segredos velados.
Às vezes explosões tempestuosas, relâmpagos e trovões, farpas aqui e ali, mas no fim de tudo sobram gargalhadas.
Um assunto recorrente, em qualquer aglomeração de mulheres, sempre será o sexo. Aliás, a única coisa melhor que falar de sexo entre amigas é fazer, sem as amigas.
A vizinhança é surpreendente. Um percussionista no prédio em frente toca na janela pra rua inteira ouvir. Na esquina oposta um bar, onde moças de fino trato trabalham, e por vezes sentem um desgosto profundo.
Hoje uma tentou se jogar na frente de um ônibus. A polícia interveio, algemou a menina e levou, enquanto a massa popular se dividiu entre os que queriam ver sangue e os que acharam absurdo ela ser levada num camburão.
Qualquer coisa pode ser dita sobre esta casa, menos que existe em algum momento um cisco de monotonia.
O simples fato de sair pela portaria já rende boas risadas. A total incompreensão por parte dos porteiros, sobre o que acontece aqui é hilária.
Como o comum em Copacabana são mulheres morando juntas em um apartamento para diversão masculina, sabe-se lá o tipo de suspeita que levantamos.
Mas isso está longe de nos despertar constrangimento. É divertido olhar as caras de conjecturas.
Tenho cozinhado todos os dias. É legal saber que as meninas vão chegar azuis de fome e que eu posso fazer algo por elas.
No geral, mesmo em stand by, procurando trabalho e ocupações, já me sinto muito em casa aqui. Na verdade, estou me sentindo em casa desde o momento que cruzei a Rio-Niterói no sábado de manhã.
Acho que se sentir em casa é isso, olhar as coisas e ver como elas são suas verdadeiramente, como se entregam pra você a cada quarteirão que passa.
Estou em casa, finalmente.

Anúncios

2 thoughts on “A casa

  1. vc é: linda. maliciosa. deliciosa.apetitosamente red. vermelhisticamente sutil. inteligentemente made.

    te amo, linda
    bjs bjs.
    to lendo tudo…(o plagio da carla tb.. rsrsr)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s